Cidade Empreendedora

Cidade Empreendedora encerra em Bataguassu, com resultados comprovados no município

Programa desenvolvido entre Sebrae e Prefeitura Municipal visa crescimento econômico local, por meio da melhoria do ambiente de negócios

Após um período de quase dois anos, o programa Cidade Empreendedora termina em Bataguassu, com resultados positivos para a economia local. Desenvolvido entre o Sebrae/MS e a prefeitura, a iniciativa buscou promover o crescimento econômico do município, por meio de ações articuladas entre o poder público, empresários, produtores rurais e a população em geral.

O programa é dividido em oito etapas, que preparam os municípios para gerar emprego, renda e oportunidades de negócios. São eles: Mapear oportunidades; Desburocratização; Sala do Empreendedor; Compras locais; Liderança; Cultura Empreendedora e Inovação; Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE); e Desenvolvimento empresarial.

Em Bataguassu, a população definiu o turismo como setor prioritário, com foco na pesca. Desde então, ações foram realizadas para estruturar a atividade turística na região, como a construção de píeres para receber turistas e o Balneário Municipal, e também a integração com o Distrito de Nova Porto XV.

“Por meio do Cidade Empreendedora, a gestão municipal de Bataguassu tem investido massivamente na melhoria do ambiente de negócios local, favorecendo o desenvolvimento social, capital humano, infraestrutura e desenvolvimento econômico levando em consideração a abundância em recursos naturais disponíveis na região”, destaca o prefeito Pedro Arlei Caravina.

Prefeitura de Bataguassu investe em Educação EmpreendedoraPara a gerente da Unidade Regional do Sebrae/MS, Josi Signori, o programa trouxe contribuições comprovadas. “Vimos a integração do setor público com o privado, a dinamização do fomento econômico por meio das contribuições de pesquisa, como o Municípios em Números. Os próprios empresários viram que eles têm potenciais e que precisam ser trabalhados”, disse.

Ações

Dentro da Agricultura Familiar, no eixo de Compras Locais, foram 115 pessoas capacitadas e 20 produtores habilitados a fornecer para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), além de atender ao mercado local. Também foram realizadas oficinas de capacitação dos produtores rurais, que passaram por temas como compras públicas e canais de comercialização.

Já a Sala do Empreendedor foi reestruturada, passando a realizar diversos atendimentos aos empreendedores. Entre elas, agentes do programa Negócio a Negócio (NAN) realizaram orientações personalizadas para 316 empresas e a Semana do MEI levou capacitações para os microempreendedores individuais.

Nas escolas, o foco foi estimular o empreendedorismo de forma lúdica, dentro do eixo Cultura Empreendedora e Inovação. Para tanto, inicialmente, foram capacitados em Educação Empreendedora 55 professores; 43 alunos na metodologia Crescendo e Empreendendo; 632 na metodologia Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) e 100 estudantes participaram do projeto Despertar.

Público confere Dia da OportunidadeTodas as ações realizadas pelo programa foram expostas de forma única em uma grande feira gratuita realizada no município: o Dia da Oportunidade. A iniciativa atraiu mais de 920 visitantes e cerca de 50 empresas, que puderam conferir as oportunidades de negócios, capacitações empresariais, soluções tecnológicas do Sebrae, entre outras.

O evento contou ainda com a participação do Conselho Deliberativo do Sebrae, formado por representantes do setor produtivo e do Governo do Estado. O grupo, que constrói as ações que serão prioritárias para os pequenos negócios de MS, verificou as oportunidades de atuação em prol do desenvolvimento econômico de Bataguassu e região.

População aprova

Protagonista das ações, a população pôde contribuir com a execução do Cidade Empreendedora. É o caso do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Bataguassu, George Saito. Para ele, as mudanças serão observadas realmente a longo prazo, mas já é possível notar os ganhos para o comércio.

“Achei de grande valia, hoje vejo uma maturidade no comércio. Participamos de todas as ações do Sebrae, somos parceiros. Atendeu à necessidade de capacitação local, mudou a mentalidade do município. Mas a melhoria maior será mais com o tempo”, disse.

“O ajuste da demanda de acordo com o cardápio da escola e a produção é fundamental para a previsão das entregas. O planejamento facilita a organização das hortaliças que temos que entregar durante o ano”, afirma o produtor rural, Gilberto Benitez de Souza.

Os interessados em conhecer mais sobre a metodologia do Cidade Empreendedora e detalhes dos trabalhos realizados em Mato Grosso do Sul podem acessar o site www.sebraecidadeempreendedora.com.br/.

 

Tags: Cidade Empreendedora