Representatividade

Pela primeira vez, empreendedores de MS são capacitados em segmento Turismo LGTB+

Especialista apresentou desafios e especificidades do segmento em workshop inédito realizado pelo Sebrae/MS

Dentro do segmento turismo, um dos nichos de atendimento é o LGBT+, destinados a pessoas que se consideram lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros e demais nominações. Este setor em plena ascensão cresce anualmente 11% no Brasil, enquanto o turismo de modo geral sobe 3,5% ao ano.

O Sebrae/MS, com apoio da Prefeitura Municipal e da Fundtur-MS, trouxe pela primeira vez a temática ao estado


Tendo em vista este cenário, na última semana o Sebrae/MS realizou em Bonito pela primeira vez o workshop de turismo LGBT+ no estado, com o apoio da Prefeitura Municipal e da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur).


Quem ministrou a capacitação foi o Diretor do Fórum de Turismo LGBT do Brasil e Diretor Comercial da Revista ViaG, Alex Bernardes. Para ele, as empresas devem estar preparadas para atender aos clientes, levando em consideração questões sociais.

Alex Bernardes, um dos palestrantes do workshop Turismo LGBT+


A experiência do turista é fator decisivo para o cliente LGBT, que lida com discriminação e homofobia. Os casos vão desde uma simples piadinha, a recusas de reserva, da opção de cama de casal, e as vezes chegam ao extremo, com casos de agressões verbais e físicas. Tudo isso acontece por despreparo, ignorância e falta de empatia”, aponta o palestrante.


De acordo com relatório produzido pelo Sebrae sobre pesquisa da Associação Brasileira de Turismo, em parceria com a revista ViaG, este público, de forma geral, é considerado mais exigente quando busca por produtos e serviços. Apesar disto, frequentemente é mais generoso que outros viajantes, gastando 30% mais.


O estudo aponta ainda que os turistas LGBT+ realizam aproximadamente quatro viagens ao ano e 45% destes vão ao exterior anualmente, sendo responsáveis por 10% da movimentação do setor de turismo mundial. “Um número bem considerável quando se imagina uma atividade bilionária como o turismo”, afirma Alexandre.


Dicas de como empreender


O turista LGBT+ não procura só por experiências direcionadas. Ele também busca por viagens românticas, de aventura, sol e mar, cultural, familiar, com amigos, viagens esportivas ou corporativas, estando inserido dentro de todos esses contextos.


As empresas que desejam beneficiarem-se com este mercado precisam implementar uma série de boas práticas. O Sebrae lista, no relatório divulgado em 2018, algumas dicas para atrair e atender o público como: Fazer parcerias entre empresas de segmentos diversos que tenham interesse; Ter atendimento de qualidade, com colaboradores envolvidos e capacitados e; Gerar identificação, criando campanhas e estratégias específicas.


Uma das participantes do workshop de Bonito, Adriana Merjann, que é diretora da agência Bonito Way Turismo e Eventos, leva aos seus funcionários capacitações sobre o assunto. “É importante atualizar nossa equipe de tempos em tempos, porque entram funcionários novos. É preciso estarem alinhados com os valores da empresa”.

Participantes aprendem sobre os desafios e especificidades do segmento


Bonito já é uma cidade “gay-friendly”, de acordo com o analista técnico do Sebrae/MS, Télcio Barboza. Esta nominação se dá aqueles que apoiam e promovem práticas de valorização e respeito à comunidade LGBT+. “Contamos com mais de 100 inscritos para o workshop e isso representa que o trade turístico da cidade está interessado em investir neste mercado, gerando volume de negócios e melhorar a experiência do cliente”, finaliza.


Empresários que desejam conhecer mais sobre o assunto podem procurar orientação do Sebrae, por meio do Portal que possui artigos e capacitações virtuais, ou também pelo telefone 0800 570 0800.

Tags: LGBT+, Turismo LGBT+