Parceria

Sebrae e Banco do Brasil assinam acordo de cooperação para beneficiar pequenos negócios

Convênio favorece acesso bancário, educação financeira, expansão de Empresas Simples de Crédito, entre outras iniciativas

O Sebrae e o Banco do Brasil assinaram nesta segunda-feira (25) um acordo de cooperação técnica que irá beneficiar os pequenos negócios. A parceria visa melhorar a qualificação do empreendedor para fins de crédito e apoiar a expansão da Empresa Simples de Crédito. Em Mato Grosso do Sul, a meta é criar 35 empreendimentos deste tipo até 2021.

O acordo foi assinado em Brasília e acompanhado pelas unidades das instituições nos estados, e prevê ações para a geração de negócios sustentáveis entre Microempreendedores Individuais (MEI), Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP).

Com a parceria, o banco será a principal plataforma para as Empresas Simples de Crédito (ESC), um dos meios para os pequenos negócios obterem empréstimos a baixo custo e sem burocracia. Pelo convênio, o Banco do Brasil vai oferecer assistência creditícia, privilegiando os clientes qualificados pelo Sebrae com melhores taxas, tarifas de serviço diferenciadas e Cartão do Empreendedor.

O acordo também prevê o compartilhamento de inteligência de dados para oferta de benefícios do Banco do Brasil aos clientes do Sebrae e disponibilização de atendimento da instituição de apoio aos pequenos negócios (cursos, consultorias, palestras etc.) para clientes do banco. As duas organizações promoverão ainda a educação financeira dos empresários atendidos e haverá intercâmbio de soluções educacionais para os colaboradores.

Para o gerente da Unidade de Competitividade Empresarial do Sebrae/MS, Rodrigo Maia, o termo mostra a união de esforços no estímulo de um ambiente favorável ao fortalecimento dos negócios. “O Sebrae está pronto para atender os empreendedores, orientando sobre as possibilidades de crédito existentes”, disse.

Em Mato Grosso do Sul, a parceria com o Banco do Brasil rende divulgação de linhas para empreendedores, como o FCO Empresarial. O superintendente da instituição no estado, Sandro Grando, já explicou que para contratar o serviço é preciso comparecer a uma agência. “É preciso conversar com o gerente e ver a possibilidade, é um atendimento personalizado. Prezamos por projetos viáveis economicamente, enquadrados na normativa do FCO, e que, principalmente, demonstrem desenvolvimento para Mato Grosso do Sul”, afirmou.

Tags: FCO Empresarial